22 de outubro de 2021 - 05:31

Detonando

HOMICÍDIO CONTRA EX-PREFEITO DE COLNIZA 08/10/2021 07:08

Executores de crime são condenados em júri que durou quase 20 horas

Em um julgamento que durou quase 20 horas, os jurados acolheram as teses defendidas pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso e os réus Welison Brito Silva e Zenilton Xavier de Almeida foram condenados, respectivamente, a 28 e 25 anos de prisão, por homicídio qualificado consumado praticado em 2017 contra o então prefeito da cidade de Colniza, Esvandir Antonio Mendes. A pena aplicada inclui ainda as condenações por tentativa de homicídio contra as vítimas Walison Jones Machado Lara, Rosimeira Costa e Admilson Ferreira dos Santos, e os crimes conexos de associação criminosa e receptação.
De acordo com o promotor de Justiça que atuou em plenário, Roberto Arroio Farinazzo Junior, o julgamento começou às 8h de quarta-feira e se estendeu até as 4h da manhã desta quinta-feira. Ele informou que no próximo mês, no município de Juara, os acusados de serem os mandantes do crime, Yana Fois Coelho Alvarenga e Antonio Rodrigues, serão levados ao plenário do júri.
O pedido de desaforamento do júri foi feito pelo Ministério Público. Na ocasião, a Promotoria de Justiça argumentou que o interesse da ordem pública e a dúvida na imparcialidade dos jurados não possibilitariam o julgamento justo dos dois réus na Comarca de Colniza. Enfatizou ainda que vários jurados que foram intimados para participar das sessões de julgamento manifestaram informalmente o desejo de não participar de eventual julgamento com temor dos acusados.
Conforme a sentença proferida nesta quinta-feira contra os réus Welison Brito Silva e Zenilton Xavier de Almeida, foram admitidas três qualificadoras quanto ao crime de homicídio praticado contra o prefeito à época dos fatos. Além da promessa de recompensa, os jurados seguiram entendimento do Ministério Público de que o crime foi cometido com a utilização de recurso que dificultou a defesa da vítima e resultou em perigo comum.
Durante o julgamento, os réus mantiveram a confissão feita na Delegacia de Polícia. “Todos os pedidos do Ministério Público foram acatados durante o julgamento, tendo os réus sido condenados por todos os crimes em que o MP insistiu na condenação. Só foram absolvidos da corrupção de menores, a pedido do próprio MP”, destacou o promotor de Justiça.
 CRIME – O então prefeito de Colniza foi assassinado em dezembro de 2017, em uma das avenidas da cidade, quando foi atingido por disparos de fogo dentro do seu próprio veículo.


Copyright  - Nobres Noticias  - Todos os direitos reservados

Plantão
65 99217-1615 

Canto da tha  1