AL deve votar nessa semana PL que trata do Plano Diretor de Turismo de MT

Esta semana deve entrar em pauta de votação em sessão plenária na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, o Projeto de Lei 426, de autoria do deputado Adalto de Freitas (SD), que trata sobre o Plano Diretor do Turismo e o Sistema Estadual do Turismo no estado. O intuito é promover a gestão descentralizada e participativa, com algumas normativas como o planejamento e a avaliação da política de desenvolvimento social e regional do turismo, a diversidade e a acessibilidade no setor, as tradições e a cultura do estado, o desenvolvimento, a promoção e a comercialização dos produtos turísticos da região.
O Plano Diretor do Turismo do estado de Mato Grosso tem como objetivo ordenar as ações do setor público, orientando a utilização dos recursos públicos para o desenvolvimento do turismo e deve ser elaborado no prazo de um ano. Já o Sistema Estadual de Turismo de Mato Grosso, instituído em caráter permanente, proposto pelo PL, tem por meta promover o processo de gestão descentralizada, integrada e articulada do turismo no estado.
“É visível a necessidade de alavancar o turismo no estado e, deste modo, aumentar a visibilidade do setor turístico no âmbito nacional e internacional, com ênfase nas potencialidades e vocação de cada região”, destacou Adalto, autor do projeto.
O secretário-adjunto de Turismo do estado, Luis Carlos Nigro, que defende o turismo como alternativa para ‘driblar’ a crise e fomentar a economia, disse que a iniciativa do deputado em apresentar esse projeto pode dar um novo rumo para o turismo no estado. “É muito bom termos deputados preocupados com os projetos do turismo do estado de Mato Grosso. Só fortalece o setor”, ressaltou.
Durante a abertura da Feira Internacional (FIT) Pantanal, principal evento do setor no estado, realizado em abril, Nigro destacou que, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), nos empregos formais nas atividades características do turismo, apontados no ultimo levantamento de 2013, o setor de alimentação é o que mais emprega no estado, com mais de quatro mil vagas, seguido pelo de alojamento, com mais de 3,8 mil.
Desde 2006, o setor que teve a mais elevada taxa de crescimento foi o de aluguel de transportes, 529,4 %. O que teve o pior resultado foi o de transporte terrestre, com saldo negativo de 59,3% no período.
“Neste sentido, cabe ponderar que o turismo é um segmento em pleno desenvolvimento, que se destaca pelas amplas oportunidades que pode trazer para a economia do estado, e é área determinante para contribuir na redução das desigualdades regionais”, defende Freitas.

Comentários